APTA - Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios

Notícia

 

08/08/2017
IB presta serviço de excelência para diagnóstico de morte súbita de bovinos por clostridioses
O diagnóstico da chamada morte súbita em bovinos é um dos serviços de excelência prestados aos produtores pelo Instituto Biológico (IB-APTA), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo. As bactérias anaeróbias do gênero Clostridium spp produzem toxinas que podem levar animais à morte em menos de 24 horas. O diagnóstico é importante para prevenir novos casos com a utilização de vacinas comerciais e controle dos fatores predisponentes. O Laboratório de Bacteriologia Geral do IB realiza em média 200 análises por ano e atende produtores de todo o Brasil.

De acordo com a pesquisadora do IB Simone Miyashiro, a chamada morte súbita pode ser causada pelas toxinas produzidas por essas bactérias anaeróbias, ou seja, que crescem na ausência do oxigênio, e que levam os animais a uma morte muito rápida, entre 24 horas e três dias. Elas podem atingir o intestino dos animais, os músculos, o fígado e o sistema neurológico.

“As causas da enterotoxemia estão geralmente associadas a uma mudança brusca na alimentação dos animais ou ao stress térmico. Elas podem levar à morte animais de excelência, pois um dos fatores predisponentes da doença é a super alimentação”, explica Simone.

Para evitar o problema, os produtores devem vacinar o rebanho, não mudar de forma brusca a alimentação e nem dar uma grande quantidade de alimento, além de realizar o descarte adequado das carcaças de animais mortos e fazer a assepsia de machucados e dos equipamentos utilizados para o manejo dos bovinos.

O Laboratório de Bacteriologia Geral do IB realiza análises para identificar se a morte dos animais está associada às bactérias do gênero Clostridium spp. “É importante o produtor ter esse diagnóstico fechado para poder prevenir que novos casos ocorram, já que essas bactérias estão presentes no ambiente de forma ubiquitaria, ou seja, em vários lugares ao mesmo tempo”, explica a pesquisadora.

Anualmente, são realizados pelo IB 200 diagnósticos para grupos associados a esse gênero de bactéria – enterotoxemia, histotoxicas e botulismo – para todo o País. Para diagnóstico da enterotoxemia os interessados podem enviar amostras do intestino delgado com conteúdo intestinal (alça ligada do intestino), coração, fígado, rim e baço refrigerados ou congelados.

Para a suspeita de botulismo, enviar conteúdo estomacal (50 g) no caso de grandes animais ou soro sanguíneo (mínimo 3 mL) no caso de pequenos animais (cães, aves) para pesquisa da toxina botulínica. Nas infecções musculares (manqueira ou carbúnculo sintomático e gangrena gasosa) encaminhar um fragmento da musculatura alterada e do fígado.

Nas suspeitas de hepatite necrótica ou hemoglobinúria bacilar encaminhar fragmentos de fígado e rim. Mais detalhes podem ser obtidos no site http://www.biologico.sp.gov.br/exames_animal.php.

Conheça cada um dos grupos de doenças causadas pelas bactérias do gênero Clostridium spp.

Enterotoxemia – Nesta doença, as toxinas produzidas pelas bactérias do gênero Clostridium spp se originam no intestino do animal. Ela pode atingir, principalmente, animais considerados de excelência. Sua ocorrência está relacionada a mudanças bruscas na alimentação, alto parasitismo intestinal ou super alimentação. Altamente letal, pode matar os bovinos em até três dias. Amostras de animais com suspeita de enterotoxemia são as mais frequentes recebidas pelo laboratório do IB.

Histotoxicas – As bactérias neste caso atacam os tecidos dos animais, principalmente os músculos. É comum a ocorrência no chamado “trem superior” dos bovinos novos – com até dois anos. A doença é conhecida, popularmente, como “manqueira” por necrosar principalmente grandes massas musculares do membro posterior, fazendo com que ele manque.

Normalmente, os animais são contaminados ao ingerir pasto com os chamados esporos, que é a forma de resistência da bactéria na presença do oxigênio, ficando quiescentes no fígado e em grandes musculaturas. Na presença de trauma por coice ou queda, por exemplo, pode ocorrer uma pequena parada de oferta de oxigênio, fazendo com que os esporos sejam reativados e ocorrendo a multiplicação da bactéria, produção de toxinas e morte rápida.

Neurotoxinas – O botulismo caracteriza-se por um quadro de paralisia motora progressiva causado pela ingestão da toxina botulínica geralmente produzida por más condições de armazenamento de silagem ou por depósito de carcaças no ambiente (material orgânico em decomposição). O tétano é uma toxi-infecção em que há contaminação de feridas por esporos do C. tetani do ambiente, que produzirá as neurotoxinas que atingirão o sistema nervoso central causando uma paralisia espástica.

Por Fernanda Domiciano

Assessoria de Imprensa – APTA

|Voltar|