APTA - Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios

Notícia

 

16/05/2017
Mortalidade de bezerros e mastite serão temas de treinamento realizado pelo Instituto Biológico em Dracena e Votuporanga
Pecuaristas leiteiros da região de Dracena e Votuporanga, interior paulista, contarão com a orientação de pesquisadores do Instituto Biológico (IB-APTA), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, para lidar com problemas que afetam a produtividade de suas propriedades: a mortalidade de bezerros e a infecção das vacas com a doença mastite. O IB realizará duas edições do Programa de Sanidade em Agricultura Familiar (Prosaf) em 17 de maio em Dracena e 18 de maio em Votuporanga.

De acordo com a pesquisadora do IB Líria Okuda, as causas de mortalidade de bezerros são diversas, como doenças genéticas, infecciosas

(bacterianas e virais) e parasitárias. O foco do Prosaf, porém, será na Diarreia Viral Bovina (DVB), doença endêmica que afeta de 15% a 30% do rebanho paulista. “A DVB é uma doença infecciosa que pode levar à morte dos bezerros em decorrência da doença das mucosas e por problemas neurológicos”, afirma.

A maior preocupação é a infecção fetal gerando nascimento de animais persistentemente infectados e imunotolerantes. Estes são os principais transmissores da doença no rebanho. Aproximadamente, 2% dos animais nascem infectados. Um bezerro contaminado pode transmitir a doença para outros bezerros e também para animais adultos facilitando a ocorrência de infecção secundária de outros agentes patogênicos, principalmente bactérias, o que pode levar o animal a óbito. Os animais adultos, com o sistema imunológico competente, conseguem combater o vírus e estão protegidos por longo tempo, segundo a pesquisadora.

Para identificar os bovinos persistentemente infectados, Líria recomenda observar se há nascimento de animais de menor tamanho, baixo peso e associar com outros problemas no rebanho, sejam respiratórios, infertilidade, gastro-enterite e neurológico. “O indicado, porém, é a realização de análises laboratoriais. O Laboratório de Viroses de Bovinos do IB realiza essas análises para todo o Brasil. Cerca de 10 mil análises são realizadas por ano”, explica.

Com base nas análises, o pecuarista poderá tomar decisão mais adequada para solucionar o problema, como o uso de vacinas e até mesmo o sacrifício do animal infectado, como medida de controle da doença.

Mastite

A mastite é uma doença inflamatória da glândula mamária, podendo afetar um ou mais tetos, com ocorrência mais frequentes em ruminantes. A inflamação do úbere do animal pode resultar na perda de cerca de 20% da produção de leite. O tratamento da doença é feito com o uso de antibióticos, e também neste caso, é necessário realizar exames laboratoriais para identificar qual o melhor antibiótico para ser usado no tratamento.

O IB realiza este teste no Laboratório de Bacteriologia Geral, em São Paulo. O custo das análises é cerca de R$ 40. “Esse custo é muito baixo, quando comparamos o preço do antibiótico para um animal de 500 quilos, aproximadamente, como os bovinos de leite. Identificar o melhor produto fará com que o problema seja solucionado mais rápido e que o produtor não gaste dinheiro com uso errado de antibiótico que não terá o efeito desejado”, afirma Alessandra Nassar, pesquisadora do IB.

Alessandra explica que além da perda de produtividade, a doença tem relação direta com o menor preço do leite conseguido pelo pecuarista. Isso porque o leite dos animais infectados tem mais bactérias. Quanto mais bactérias no produto, menor sua classificação e valor de mercado. “Às vezes o produtor não entende porque a contagem bacteriana do leite que produz é tão alta. Uma das causas pode ser a mastite”, explica.

A mastite pode ser evitada com a higienização bem feita e o uso de ordenha mecânica. Após a ordenha é necessário fazer a limpeza do úbere e colocar o animal em um local que não seja úmido e sujo, para que ele não se contamine.

A orientação é que os animais doentes sejam separados no momento da ordenha. Ao final do processo, o leite dos animais contaminados deve ser descartado. “Existem duas formas de mastite, a contagiosa, transmitida entre os animais, e a ambiental. Durante o Prosaf, vamos transferir conhecimento sobre os dois tipos, os sintomas, a prevenção, o diagnóstico e o manejo”, diz Alessandra.

Prosaf

Lançado em 2009, o Programa de Sanidade em Agricultura Familiar (Prosaf) já auxiliou cerca de dois mil produtores rurais paulistas a melhorarem a sanidade vegetal e animal em suas propriedades. Com ações de curto, médio e longo prazo, os pesquisadores do IB identificam as pragas e doenças que ocorrem nas propriedades e propõem técnicas de manejo para melhorar a produção. Resultado: aumento da renda, melhoria na qualidade dos produtos ofertados aos consumidores, redução do uso de produtos químicos e produção com sustentabilidade.

O programa trabalha a partir das demandas dos agricultores paulistas. São eles que entram em contato e solicitam a visita dos pesquisadores. Na propriedade, as pragas e doenças que estão afetando a produção são identificadas e, com base nos diagnósticos, os pesquisadores propõem treinamentos com tecnológicas para solucionar o problema. O Prosaf, coordenado pelo IB, é realizado em parceria com as unidades regionais da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA), da Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (Cati), prefeituras municipais, associações de produtores e cooperativas.

“O Prosaf é um programa muito importante, pois transfere conhecimento e tecnologia para os pequenos e médios produtores. Uma das orientações do governador Geraldo Alckmin é justamente dar atenção aos produtores familiares”, afirma Arnaldo Jardim, secretário de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo.

SERVIÇO

Prosaf – Dracena

Data:
17 de maio de 2017

Horário: A partir das 18h30

Local: Cooperativa dos Produtores Agropecuários de Dracena (Coopadra)

Endereço: Rodovia Byron de Azevedo Nogueira, Km 8,5, Bairro Mirassol, Dracena (SP)

Prosaf – Votuporanga

Data:
18 de maio de 2017

Horário: A partir das 9h

Local: Centro de Seringueira IAC

Endereço: Rodovia Péricles Belini, km 121 + 6km terra, Votuporanga (SP)

Por Fernanda Domiciano

Assessoria de Imprensa – APTA

|Voltar|